Google+ Followers

30 de jun de 2009

Corações


Dois corações se quebram, se partem,
ao perceberem que juntos não mais se satisfazem.
Um nota que o outro não está dando carinho co
mo antes.
O outro nota que o jeito do olhar está diferente.
Os dois se calam.
Longo silêncio.
Tudo continua como se nada estivesse acontecendo.

Mas os corações sabem que as coisas não estão normais.
Os dias passam, as noites
em claro demoram a passar,
os pensamentos fervem, as lágrimas caem do olhar;
e nada se resolve.
Como contar?
Um coração não bate com a mesma intensidade de antes...
O outro também não.
Tudo é muito confuso.
O be
ijo se torna vazio,
o abraço frio,
o olhar seco.
E o silêncio atrapalha, a verdade e o medo incomodam.
A dor.
A tristeza.
Como contar?
Esse momento chegará, sim, e será duro como um momento
no inferno.
E as lembranças...
não se apagarão.
Nunca.
Dois corações que durante tanto tempo juntos encontraram
dias de intensa felicidade,

agora,
separados,
encontrarão dias de intensa agonia.
Estar sozinho nunca é bom,
e a solidão dói.
Hoje, nessa noite tão escura,
um dos corações (o meu)
toma coragem para dizer.

Mas não liga.
Prefere apagar a luz, dorme , sonha.
E acorda, no meio da madrugada, com a lua vagando pelo
céu.

Chora, chora muito este pobre coração.
Vê que esse sentimento não tem fim.
É apenas uma crise, um momento, uma fase.
E passa.
E é exatamente nessa mesma noite

que o outro coração (o dele),
também chora muito.
E também descobre que o sentimento é eterno.
E amanhã,
esses dois corações voltarão aos velhos tempos,
e terão momentos de intensa felicidade.
Por que se amam.

Um comentário:

muito obrigado por comenta beijinhos